- Desmontagem, limpeza e montagem - Galaxie 302
- Desmontagem, limpeza e montagem - Jeep 51
- Componentes
- Processo de Fundição
- Teste de Bancada (confiabilidade)
- Funcionamento da bomba d'água
- Aditivo
- Sistema de vedação antigo e moderno
- Bombas Personalizadas

A bomba a ser remanufaturada é posicionada na prensa hidráulica e sob pressão é desmontada (fig. 1). A partir daí, temos seus componentes internos separados. (fig.2).
Os componentes reaproveitáveis, ou seja, aqueles que não sofreram desgate, sendo carcaça, cubo, tampa e parafusos são jateados. (fig.3)
 

Figura 1

Figura 2

Figura 3

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 



 
 
 
 
 
Montagem da Peça 

Assim como o processo de desmontagem, a montagem deve ser realizada com cautela, para que não danifique a peça.
A primeira etapa é montar o rolamento na carcaça, com o auxílio da trava química – responsável por manter a pressão original designada pelo fabricante (fig. 4)  –, posteriormente aloca-se  o selo mecânico cartucho, ou seja, o sistema moderno de vedação, adotado em todos os trabalhos da Real Bombas. (fig. 5)
No posicionamento do cubo, antes de sua conclusão, a peça ainda passa por alguns procedimentos técnicos, para a certificação da qualidade da montagem, como por exemplo, a verificação do alinhamento do componente (fig. 6), de caráter preventivo; sendo concluído somente com o posicionamento do rotor (fig. 7).
O grande trunfo da empresa está exatamente em todo o cuidadoso processo de remanufatura da bomba d’água, que inicia-se na desmontagem, seleção de componentes, limpeza e principalmente montagem.
Obs. Substituimos o rotor de latão, pois o original foi corroído devido ação do líquido. (fig 7)
 

Figura 4

Figura 5

Figura 6

Figura 7

A bomba a ser remanufaturada é posicionada na prensa hidráulica e sob pressão é desmontada (fig. 1). A partir daí, temos seus componentes internos separados. (fig.2). 
Os componentes reaproveitáveis, ou seja, aqueles que não sofreram desgate, sendo carcaça, cubo, tampa e parafusos são jateados. (fig.3)
 
Figura 1
Figura 2
Figura 3
Montagem da Peça 

Assim como o processo de desmontagem, a montagem deve ser realizada com cautela, para que não danifique a peça.
A primeira etapa é montar o rolamento na carcaça, com o auxílio da trava química – responsável por manter a pressão original designada pelo fabricante (fig. 4)  –, posteriormente aloca-se  o selo mecânico cartucho, ou seja, o sistema moderno de vedação, adotado em todos os trabalhos da Real Bombas. (fig. 5)
No posicionamento do cubo, antes de sua conclusão, a peça ainda passa por alguns procedimentos técnicos, para a certificação da qualidade da montagem, como por exemplo, a verificação do alinhamento do componente (fig. 6), de caráter preventivo; sendo concluído somente com o posicionamento do rotor (fig. 7).
O grande trunfo da empresa está exatamente em todo o cuidadoso processo de remanufatura da bomba d’água, que inicia-se na desmontagem, seleção de componentes, limpeza e principalmente montagem.
 
Figura 4
Figura 5
Figura 6
Figura 7

Todos os componentes são fornecidos pelos principais fabricantes, inclusive alguns deles importados, por possuírem melhor qualidade e características próprias para solucionar o problema de qualquer bomba d’água, seja ela de carros nacionais, importados, antigos, empilhadeiras, máquinas, etc. (fig.1)


O rotor de latão

Atualmente, muitas bombas são montadas pelos fabricantes com rotores de plástico – uma tendência mercadológica moderna – podendo causar problemas prematuros na bomba d’água. Neste caso, no trabalho de remanufatura a peça é substituída por rotor de nylon importado, quando necessário a Real Bombas aplica rotores de latão (fig.2), alumínio (fig.3) ou ferro fundido (fig.4).


Uma das grandes vantagens do rotor de latão se comparado ao de chapa ou ferro fundido, é que este não sofre com a ação da água, como corrosão por exemplo (fig. 5).
 
Figura 1
Figura 5
Figura 2
Figura 3
Figura 4

O processo de fundição do rotor de latão, feito por uma empresa terceirizada, é totalmente artesanal. A primeira etapa, consiste em polvilhar a peça a modelar com lipodium (produto químico responsável para uma fácil desmoldagem. Fig.1). Na seqüência, preenche-se a caixa de modelagem com areia sintética, para que se obtenha o molde (fig. 2). Em seguida, é feito um canal de alimentação para que o latão em estado líquido – aquecido a uma temperatura de 1280ºC (fig.3) – possa ser despejado para que se obtenha o peça (fig. 4). Posteriormente, corta-se o canal de alimentação, feito no início do processo (fig. 5).
 

Figura 1

Figura 2

Figura 3

Figura 4

 


Figura 5

Este teste está disponível PDF. Para ver você precisa ter instalado em seu micro o Adobe Acrobat Reader.

 

Ver Teste 2012

Ver Teste 2006

Todos os motores de automóveis geram calor, que precisa ser eliminado para evitar o superaquecimento. A bomba dágua é um dos componentes do sistema de arrefecimento que contribue para manutenção da temperatura estável. 


A bomba dágua gira na mesma rotação do motor e é a responsável por impulsionar e direcionar o líquido de arrefecimento (água + aditivo) nas diversas galerias do motor, inicialmente num pequeno circuito,ou seja, o líquido percorre parte do motor até atingir temperatura ideal de funcionamento, quando próximo da zona crítica de temperatura, então a válvula termostática abre para que o líquido possa percorrer um circuito maior, envolvendo o radiador, para que este possa auxiliar no arrefecimento (resfriamento), voltando então o liquido arrefecido  ao motor para que possa dar sequência ao ciclo. Os principais componentes de uma bomba d’água são: cubo, rolamento, carcaça, selo mecânico e rotor.
 
 
 
Figura 1
Figura 2
 
   
 
 
 
Cubo/flange: prensado no eixo do rolamento, onde será parafusado a polia (“V”, multi “V”, lisa) a qual faz a transmissão de movimento através,normalmente, de correia,pois é acoplada ao motor. Em alguns casos a polia já vem acoplada a bomba dágua.


Rolamento: responsável por transmitir o movimento do cubo/flange para o  rotor, permitindo assim a circulação do líquido. Temos o modelo esfera/esfera e o de esfera/rolete (ver fig. 2).

Carcaça:  é o suporte dos componentes da bomba dágua, principalmente do rolamento e selo mecânico, os quais estão diretamente acoplados. Também é através dela que fixamos a bomba dágua no bloco do motor. Normalmente de alumínio ou ferro fundido.


Selo mecânico: é responsável pela vedação da bomba dágua. Utilizamos um moderno sistema de vedação, que consiste no atrito entre o grafite e a cerâmica aumentando a vida util da bomba.

 
Rotor: sua função é fazer circular o liquido, distribuindo-a para todo o motor.

O aditivo tem como função, melhorar a performance do sistema de arrefecimento, principalmente em condições mais severas de funcionamento, tanto quando frio como quando quente.


É importante que sua composição tenha alta concentração de etilenoglicol, pois em ambientes com temperaturas baixas, protege contra o congelamento , permitindo trabalhar a -35ºC. Também tem a função de elevar o ponto de ebulição, ou seja, permitindo ao sistema trabalhar em temperaturas mais elevadas (aproximadamente 135°C), evitando assim superaquecimento.
 
Características Técnicas:
• Evita corrosão;
• Evita cavitação – que sob pressão escava as paredes do motor;
• Protege peças do sistema – mangueiras e juntas; evitando ressecamento
• Evita entupimento do radiador e travamento da válvula termostática
 

Essas características aumentam a vida útil da bomba d’água, garantindo a conservação do selo mecânico.


Modo de Utilização:

• Drenar todo o líquido sujo ou com prazo de validade vencido, normalmente desconectando a mangueira inferior;
• Lavar as galerias do sistema de arrefecimento até escorrer água limpa e conectar a mangueira novamente;
• Preparar a solução arrefecedora com 40% de aditivo e 60% de água, ou seguir recomendação do fabricante;
• Adicionar a solução no radiador ou no reservatório de nível d’água*
• Ligar o motor, mantendo-o em marcha lenta até abertura da válvula termostática, caso necessário, elimine bolhas de ar, completando o nível do líquido.
*consultar tabela do fabricante para ver capacidade do volume do líquido de arrefecimento
 
 
 
 

 Moderno

No sistema de vedação moderno, o rotor tem somente a função de impulsionar o líquido. A vedação é dada pelo selo mecânico cartucho, o qual é montado por interferência (sob pressão) na carcaça da bomba d'água e no eixo do rolamento, garantindo assim a vedação e uma vida útil maior, pois o grafite gira contra o anel cerâmica. É importante destacar que neste caso o rotor não deve encostar no selo para não comprometer a altura de trabalho o qual é garantido por gabarito de montagem.
 

 Antigo

No sistema de vedação antigo o rotor de ferro fundido tem duas funções: a de impulsionar o líquido e também de vedação, ou seja, comprime o selo mecânico até a altura de trabalho. O ferro fundido é microporoso, abrasivo. Como o rotor gira contra o grafite do selo mecânico, esta abrasividade pode prejudicar a vida útil do selo, causando desgaste prematuro.  

Bombas Personalizadas

A Real Bombas ainda conta com o serviço de personalização. O trabalho é feito através de pintura eletrostática, que além de dar uma aparência diferenciada ao motor, ajuda também na conservação da peça, uma vez que este processo serve de impermeabilizante. Também podemos cromar as bombas.